AVALIAÇÃO DO IMPACTO DE ALGUNS INIMIGOS NAS CULTURAS DAS PRUNÓIDEAS E AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE DIFERENTES MEIOS DE LUTA 

 

O QUE É?

Os problemas fitossanitários na cultura do pessegueiro e cerejeira tem incrementado importantes perdas para os produtores. Identificados os principais inimigos das culturas, este GO visa estabelecer uma estratégia integrada e assertiva no combate das seguintes pragas e doenças:

PESSEGUEIRO

Mosca-do-mediterrâneo – Ceratitis capitata

Cancro bacteriano –   Pseudomonas syringae 

Cigarrinha-verde -Asymmetrasca decedens

 

Rato cego – Microtus lusitanicus

CEREJEIRA
Mosca-de-asa-manchada  – Drosophila suzukii

OBJETIVOS

​Cancro bacteriano – Pseudomonas syringae

– Monitorizar plantas e pomares com sintomatologia;

– Avaliar as condições edafoclimáticas locais, avaliando se existe algum padrão de dispersão da(s) doença(s) e monitorizar essa dispersão na região;

– Observar as relações entre as condições dos locais, as cultivares e a incidência dos cancros, identificando práticas culturais que diminuam a probabilidade da sua instalação;

– Estabelecer um plano de atuação regional que vise a manutenção da sanidade dos pomares e o aumento da produtividade pela diminuição de perdas de plantas.

Drosophila suzukii e Ceratitis capitata

– Desenvolver e/ou aplicar em campo métodos de monitorização das populações destas moscas aferindo a sua exequibilidade face às condições da região;

– Identificar fatores de risco;

– Identificar os iscos e armadilhas mais eficazes para monitorização ou para captura em massa;

– Definir estratégias preventivas de proteção, avaliar a eficácia de meios de proteção inovadores e a conjugação de medidas (preventivas e químicas) na limitação da proliferação das pragas;

– Identificar, das soluções químicas homologadas, as mais eficazes no controlo das moscas e a melhor oportunidade de tratamento, face às limitações de uso.

Cigarrinha-verde –   Asymmetrasca decedens

– Confirmar a(s) espécie(s) presente(s), associando-as aos estragos observados;

– Monitorizar o ciclo de vida da praga;

– Avaliar, em 3 datas, o efeito da data da poda em verde em pessegueiros, na sua susceptibilidade à praga;

– Sensibilizar os produtores para a importância da instalação precoce de armadilhas para monitorização seguindo uma abordagem preventiva no controlo da praga.

Ratos –  Microtus lusitanicus

– Identificar/monitorizar a praga;

– Avaliar as condições dos pomares e a sua envolvência, verificando se existe um padrão de dispersão e sua monitorização;

– Observar as relações entre essas condições e a incidência da morte de plantas por ataque de ratos, definindo as práticas culturais que limitam a sua instalação e progressão.

​Estabelecer um plano de atuação que vise a sanidade dos pomares e o aumento da sua produtividade.

REDE prunusFITO

Líder do projeto

APPIZEZERE – Associação de Protecção Integrada e Agricultura Sustentável do Zêzere

​Parceiros

AAPIM – Associação de Agricultores para a Produção Integrada de Frutos de Montanha

IPCB – Instituto Politécnico de Castelo Branco

FCUL – Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

COTHN – Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional

SAQL – Sociedade Agrícola Quinta de Lamaçais

Campos de Ensaios

Gonçalo Batista – Soalheira

Frutas Quinta da Fadagosa, Lda – Castelo Novo

Joaquim Manuel Serra Duarte – Louriçal do Campo

Joaquim Martins Duarte & Filhos, Lda – Póvoa de Atalaia

Cerejorange, Sociedade Agrícola, Lda – Alcongosta

Francisco Alberto – Vale Formoso

Quinta do Lameiro Velho, Lda – Inguias

Jovapa – Sociedade de Agricultura de Grupo, Lda

Fernando Valério – Orjais

https://prunusfito.webnode.pt/